FAMÍLIA - SERVINDO OU SENDO SERVIDO

  • Imprimir
Partilhar no FacebookPartilhar no Twitter

Servir ou ser servido? Eis uma questão interessante.

Na sua família sua responsabilidade é grande. Você não está no seio da família para ser servido, mas, sim para servi-la. Você nem se lembra, mas houve um tempo em sua vida que você praticamente só era servido. Quando nascemos somos servidos nos mínimos elementos.

 

Nos primeiros meses de vida, nos dão de tudo o que precisamos. Somos alimentados na boca, nos lavam, nos limpam, nos vestem e cuidam de nós com atenção extremada, a cada instante.
                Todas as nossas necessidades básicas são supridas. Somos lembrados por todos ao nosso redor e “todo mundo” quer nos dar presentes, brinquedos, roupas, perfumes, fraudas, livros e tantas outras coisas. Nossa alimentação, depois do seio materno, é preparada com esmero. Os horários são cumpridos à risca. Os cuidados médicos, pediátricos de profilaxia e de prevenção são tomados com rigor.Somos servidos.

                Evidentemente a criança também exerce sua missão de “servir”. Posto que serve para que todos os sentimentos nobres se desenvolvam na vida de cada familiar e mesmo de todos os que se aproximam de um bebê.  Sentimento de amor pela vida. O fascínio do mistério da renovação e da preservação da espécie humana.

                A Família é o núcleo mais extraordinário para o ser humano. É certo que há famílias desagregadas, desestruturadas e sem sentido. É verdade também que há familiares, sejam pais, filhos, irmãos ou cônjuges que vivem no seio da família só para explorar e impor seus desejos e opiniões, não se importando com os demais componentes do  Lar ou da família. Mas, no entanto, esta não é a realidade da função familiar, nem da missão de cada participante da mesma.

                Jesus nos mostra que veio ao Mundo para servir e não para ser servido. Ele é o Servo do Senhor, que nos serve. Ele também nos diz que se nós quisermos ter um verdadeiro valor precisamos servir uns aos outros. Não pode haver na família, aqueles que se tornam aproveitadores de situações para explorarem os outro nem preguiçosos e muito menos ditadores.

                Assim como os falsos ensinos podem arruinar famílias inteiras (Tito 1.11), a falta de ensino sobre o serviço no âmbito da família se torna um desastre. Quem não aprendeu a trabalhar, quem não coopera nos afazeres domésticos, quem não cuida dos bens e das coisas se torna motivo de tristeza para a família e para Deus. A ociosidade é combatida, pois os preguiçosos também trazem ruína, se tornam um peso para os outros. Passam a desperdiçar força, recursos e meios dilapidando assim o patrimônio familiar. A orientação de Paulo à igreja dos tessalonicenses é que quem não trabalha não coma. (2Tes 3.10)

                Servir é um privilégio. Servir à família é um dever e uma obrigação. Servir a igreja é uma bênção. Há leis que protegem os idosos, as crianças e a família em geral. Servir a família deve ser algo recompensador e gratificante, sem ser um peso para ninguém, Há quem pensa em constituir família só para satisfazer-se, para se servir dos outros.

                Como você tem vivido até aqui?Servindo ou sendo servido?

                Como você tem sido visto no seio da sua família? Como preguiçoso ou cooperador?

Você que é mãe, dona de casa, esposa, irmã, você que é mulher, como tem sido vista pelos homens da casa? Como seus filhos e marido a chamam? “Seus filhos se levantam e a elogiam; seu marido também a elogia?” (Prov 31.28)

                Você que é homem, como os membros de sua família vêem você? “Quem trabalha aplicadamente ganhará qualidades para vir a conduzir os outros.  Os preguiçosos nunca terão sucesso na vida”. (Prov 12.24) “O preguiçoso quer ter muita coisa, mas é muito pouco que consegue obter; mas os que trabalham com aplicação prosperam.” (Prov 13.4)

                Vale mais servir que ser servido. Portanto vamos servir com alegria, tanto no lar como na igreja. Sejamos servos de quem ninguém tenha nada a reclamar.